Make your own free website on Tripod.com

Análise quantitativa das cores de rochas ronamentais por meio de captura dirata de imagens via scanner.

Akihisa Motoki *; Thais Vargas *; José Luíz Peixoto Neves *, Felipe Dias Cario *, Daniel Loureiro Dias

* Departamento de Mineralogia e Petrologia Ígnea, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (DMPI/FGEL/CTC/UERJ), Rua São Francisco Xavier 524, Sala A4005, Maracanã, Rio de Janeiro.
** Departamento de Oceanografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (OCN/IGEO/CTC/UERJ)

Apresentação em apinel, 27 de novembro - 10 de dezembro de 2001, UERJ, Rio de Janeiro. Bol. Res. 7 Simp. Geol. Sudeste, 182.


Resumo

O presente trabalho introduz o método para a medida quantitativa de cor da superfície polida de rochas ornamentais a partir das imagens capturadas via scanner, com o auxílio de tecnologia informática de custo relativamente baixo.

As rochas ornamentais, sobretudo as graníticas, são importantes materiais nobres de construção, entretanto, há uma certa heterogeneidade de cor até mesmo dentro da rocha. Desta forma, é necessário desenvolver o padrão para unificação da linguagem quantitativa de cor.

As imagens das rochas ornamentais são capturadas por scanner com resolução 150 dpi. A partir destas imagens, pode-se realizar as análises de cor tanto em rocha geral quanto de um determinado mineral caracteristicamente colorido, tais como feldspato alcalino, nefelina e sodalita. No programa Adobe Photoshop, preparam-se background com a imagem digitalizada da rocha e uma layer transparente superposta. Para analisar a cor de um determinado mineral, as áreas correspondentes ao mineral alvo são marcadas através da pintura da layer. Para analisar a cor da rocha total, a layer é pintada inteiramente. O background e a layer são gravadas em dois arquivos separados de formato BMP. O programa "Wilbur ver. 1.0", desenvolvido pelos autores, compara os dois arquivos e analisa quantitativamente a cor da rocha nas áreas marcadas na layer, utilizando os parâmetros RGB e HSB.

Os resultados das análises em RGB apresentam uma grande dispersão dos parâmetros no caso das análises de minerais, sendo que a aplicação direta dos programas do sistema GIS (geographic information system), que se baseia nos parâmetros RGB, não são adequados para este objetivo. Apesar da grande dispersão, as proporções R/G, G/B e B/R são relativamente constante, indicando uma aplicabilidade do diagrama triangular de R-G-B para representar a cor.

Quando se utiliza os parâmetros HSB, o H (hue) e S (saturation), sobretudo o primeiro, apresenta pequena dispersão do parâmetro de cor. No sistema HSB, a maioria da dispersão da cor é atribuída ao parâmetro B (brightness). Neste sentido, o diagrama H-S é mais recomendado que o diagrama triangular R-G-B. De forma simples, apenas o parâmetro H pode representar a cor. Com o estabelecimento da presente técnica, pode-se unificar a cor das rochas ornamentais, o que facilita a exportação deste material ao primeiro mundo.


Homepage Trabalhos